O que é um Pneumotoráx?

O pneumotórax consiste no aparecimento anormal de ar entre o pulmão e a pleura parietal que é a membrana que reveste a parede interna do tórax. O ar localizado entre o pulmão e a parede torácica provoca um aumento da pressão na cavidade torácica e comprime o pulmão, podendo causar dificuldades respiratórias. É mais frequente nos jovens altos, magros, do sexo masculino e com um predomínio nos fumadores de 6:1 em relação à população não fumadora. A maior parte das vezes resulta da rotura de uma bolha subpleural.

Imagem 1

Os principais sintomas são a dor torácica, que muitas vezes aparece subitamente e a falta de ar que frequentemente acompanha a dor torácica. No tratamento do pneumotórax a primeira opção terapêutica consiste na remoção do ar contido na cavidade pleural através da colocação de um dreno torácico que se introduz no espaço pleural. Se o pneumotórax não resolver com estas primeiras abordagens ou se tratar de 2o episódio a opção cirúrgica é a mais adequada.

A cirurgia está indicada nas seguintes situações: - Fuga de ar persistente por um período superior a quatro dias após inserção do dreno pleural; - Pneumotórax recidivante (2o episódio ou mais); - Pneumotórax contralateral prévio (ocorre no lado oposto ao que ocorreu previamente); - Pneumotórax bilateral (simultaneamente dos 2 lados).

Imagem 2

A abordagem cirúrgica preferencial e mais evoluída é a toracoscópica uniportal, onde sob anestesia geral por um único orifício de 2cm se introduzem uma câmara e os instrumentos cirúrgicos apropriados. Habitualmente, utilizamos o orifício criado para introduzir o dreno. A cirurgia é eficaz, não apenas no tratamento do pneumotórax espontâneo, como também na prevenção do pneumotórax recorrente. Uma pessoa operada dificilmente (<1%) voltará a ter um pneumotórax desse lado.

As vantagens desta técnica são: pouca ou nenhuma dor pós-operatória; bom resultado estético e cosmético; internamento hospitalar de 3 dias; retorno à actividade laboral mais rápido.

Descarregar versão PDF